Archive for category jQuery & Javascript

Por que considerar utilizar JavaScript no lado do servidor? (Por Pedro Mariano)

De fato hoje o JavaScript é uma das linguagens mais difundidas e conhecidas em todo o mundo. Em 1995 quando o Javascript surgiu, a intenção era criar uma linguagem que rodasse no browser, no lado do cliente. Há algum tempo o Javascript está, podemos dizer, evoluindo exponencialmente devido a sua “nova” utilidade, que é ser uma linguagem que agora pode ser executada no lado do servidor, assim como Java, C, entre outras.
Mas se já possuimos outras opções de linguagens, por que considerar utilizar o Javascript no lado do servidor? Discutir uso de linguagem e por que utilizar cada uma não é o foco deste tópico, porém vou mostrar alguns benefícios ao utilizar Javascript do lado do servidor.
JavaScript server-side é Javascript, oras!
Muitos de nós já conhecemos e sabemos utilizar, mesmo que de maneira básica, o Javascript . Porém utilizamos JavaScript apenas no lado do cliente, afinal diversas aplicações Web têm lá suas pitadas da linguagem. Então, se você em algum momento programou para Web, muito provavelmente você já deve ter utilizado JavaScript.
Esses conhecimentos adquiridos utilizando JS no lado do cliente podem ser aproveitados no lado do servidor, afinal JavaScript server-side é Javascript, oras!
Além do aprendizado, ao utilizar JavaScript tanto no cliente quanto no servidor você diminui a quantidade de conceitos diferentes necessários para desenvolver para a Web, adquire a possibilidade de reutilizar código entre o cliente e o servidor e reduz a necessidade de mudança de contexto.
Grande quantidade de bibliotecas
Com certeza a comunidade JavaScript é unida e bastante forte. Hoje em dia temos diversas bibliotecas que auxiliam no desenvolvimento de aplicações utilizando a linguagem.
Engines
Existe um grande esforço em melhorar sempre as Engines Javascript, fazendo com que elas sejam mais rápidas, poderosas e que funcionem em diversas plataformas. Entre as engines mais conhecidas e utilizadas estão a SpiderMonkey e a Rhino, desenvolvidas pela Mozilla, e a V8 mantida pela Google.
Performance
Apesar de considerada uma linguagem com boa performance, empresas como Google e Mozilla estão sempre investindo em melhorias, buscando melhorar cada vez mais o desempenho da linguagem. Ainda se comparado com linguagens como C, o Javascript é mais lento. Porém se comparado com outras linguagens interpretadas, não existe tanta discrepância.
Linguagem
Javascript é uma linguagem bastante poderosa. Duas características notáveis da linguagem são a orientação a protótipos, e a possibilidade de tratar funções como argumento ou resposta de métodos.
JavaScript como Virtual Machine
Existem alguns compiladores de código de outras linguagens para Javascript, como o CofeeScript. Existe também o HotRuby, uma VM que busca compilar código Ruby para JS.
Situação Atual
A linguagem, bibliotecas e engines estão prontas. Bibliotecas como o node.js podem facilitar a vida de quem deseja utilizar o JavaScript no lado do servidor. Ainda existe certa resistência quanto à utilização, porém acredito que dentro de poucos meses utilizar JS no lado do servidor será algo natural.

De fato hoje o JavaScript é uma das linguagens mais difundidas e conhecidas em todo o mundo. Em 1995 quando o Javascript surgiu, a intenção era criar uma linguagem que rodasse no browser, no lado do cliente. Há algum tempo o Javascript está, podemos dizer, evoluindo exponencialmente devido a sua “nova” utilidade, que é ser uma linguagem que agora pode ser executada no lado do servidor, assim como Java, C, entre outras.

Mas se já possuimos outras opções de linguagens, por que considerar utilizar o Javascript no lado do servidor? Discutir uso de linguagem e por que utilizar cada uma não é o foco deste tópico, porém vou mostrar alguns benefícios ao utilizar Javascript do lado do servidor.

JavaScript server-side é Javascript, oras!

Muitos de nós já conhecemos e sabemos utilizar, mesmo que de maneira básica, o Javascript . Porém utilizamos JavaScript apenas no lado do cliente, afinal diversas aplicações Web têm lá suas pitadas da linguagem. Então, se você em algum momento programou para Web, muito provavelmente você já deve ter utilizado JavaScript.

Esses conhecimentos adquiridos utilizando JS no lado do cliente podem ser aproveitados no lado do servidor, afinal JavaScript server-side é Javascript, oras!

Além do aprendizado, ao utilizar JavaScript tanto no cliente quanto no servidor você diminui a quantidade de conceitos diferentes necessários para desenvolver para a Web, adquire a possibilidade de reutilizar código entre o cliente e o servidor e reduz a necessidade de mudança de contexto.

Grande quantidade de bibliotecas

Com certeza a comunidade JavaScript é unida e bastante forte. Hoje em dia temos diversas bibliotecas que auxiliam no desenvolvimento de aplicações utilizando a linguagem.

Engines

Existe um grande esforço em melhorar sempre as Engines Javascript, fazendo com que elas sejam mais rápidas, poderosas e que funcionem em diversas plataformas. Entre as engines mais conhecidas e utilizadas estão a SpiderMonkey e a Rhino, desenvolvidas pela Mozilla, e a V8 mantida pela Google.

Performance

Apesar de considerada uma linguagem com boa performance, empresas como Google e Mozilla estão sempre investindo em melhorias, buscando melhorar cada vez mais o desempenho da linguagem. Ainda se comparado com linguagens como C, o Javascript é mais lento. Porém se comparado com outras linguagens interpretadas, não existe tanta discrepância.

Linguagem

Javascript é uma linguagem bastante poderosa. Duas características notáveis da linguagem são a orientação a protótipos, e a possibilidade de tratar funções como argumento ou resposta de métodos.

JavaScript como Virtual Machine

Existem alguns compiladores de código de outras linguagens para Javascript, como o CofeeScript. Existe também o HotRuby, uma VM que busca compilar código Ruby para JS.

Situação Atual

A linguagem, bibliotecas e engines estão prontas. Bibliotecas como o node.js podem facilitar a vida de quem deseja utilizar o JavaScript no lado do servidor. Ainda existe certa resistência quanto à utilização, porém acredito que dentro de poucos meses utilizar JS no lado do servidor será algo natural.

Fonte: InfoQ

Nenhum comentário.

Associando eventos dinamicamente no jQuery

Você sabia que é possível associar eventos antes mesmo dos elementos estarem presentes no DOM? Conheça os métodos .live() e .delegate() e aprenda a interagir com ações do usuário no seu site.

Quem nunca teve problemas com associação de um evento a um elemento que foi colocado dinamicamente no DOM? Eu já tive vários… Até ler este artigo, rs… Se você trabalha com jQuery, não deixe de ler!

Clique aqui para ler o artigo completo

Por Davi Ferreira

,

Nenhum comentário.

13 soluções para gráficos em JavaScript

Utilizar JS para gráficos deve ser complicado quando se fala em performance, mas nunca se sabe quando vai precisar de algo do tipo. Por isso, fica aqui a dica. Achei bem interessante o post do amigo Henry Jones com 13 soluções para gráficos em JavaScript.

Leia aqui: http://webdesignledger.com/resources/13-useful-javascript-solutions-for-charts-and-graphs

,

1 Comentário

Seletores jQuery

Um amigo (Sr. Tadao Kuroda) me passou um site bem bacana com exemplos de vários seletores jQuery. Vale a pena tanto para pesquisa quanto para quem está querendo aprender… Confiram:

http://codylindley.com/jqueryselectors/

Nenhum comentário.

Utilizando de forma simples o ajax do jQuery

O intuito desse post é mostrar como é fácil trabalhar com o AJAX do jQuery. O exemplo abaixo simula o submit de um formulário, utilizando o ajax de uma forma bem simples.

Arquivo view.php
  1. <html>
  2. <head>
  3. <title>Exemplo Submetendo um formulario com jQuery.ajax</title>
  4.  
  5. <script type="text/javascript" src="jquery-1.3.2.js"></script>
  6.  
  7. <script language="javascript" type="text/javascript">
  8.  
  9. $(document).ready(function(){
  10.  
  11.  $('#submit').click(function(){
  12.  
  13.   $.ajax({
  14.    url: 'control.php',
  15.       async: false,
  16.       type: 'POST',
  17.       data: $('#form').serialize(),
  18.       dataType: 'text',
  19.    });
  20.  
  21.  });
  22.    
  23. });
  24.  
  25. </script>
  26.  
  27. </head>
  28. <body>
  29.  
  30. <h2>Exemplo Submetendo um formulario com jQuery.ajax</h2>
  31. <h4><a href="http://www.ti.thiagocolares.com.br"><i>http://www.ti.thiagocolares.com.br</i></a></h4>
  32.  
  33. <form id="form">
  34. Nome: <input type="text" name="nome"/><br/>
  35. Email: <input type="text" name="email"/><br/>
  36. </form>
  37.  
  38. <button id="submit"/>Submeter</button>
  39.  
  40. </body>
  41. </html>

Dessa forma, os dados do formulário serializado chegarão no seu $_POST:

Arquivo control.php
  1. <?php
  2.  
  3. print_r('Dados submetidos com sucesso!');
  4. print_r($_POST);
  5.  
  6. ?>

“Ah, Thiago… Mas qual a diferença disso pra um submit tradicional?” Nenhuma. Mas você pode utilizá-lo a partir de qualquer evento JavaScript (blur, focus, etc…), inserir dados em banco, fazer consultas… Enfim, agora deixem a criatividade rolar :) Logo postarei um exemplo mais interessante utilizando o Zend Framework.

Documentação: http://docs.jquery.com/Ajax

Um abraço!

,

2 Comentários