Archive for novembro de 2010

Navegabilidade em dispositivos móveis (por Talita Pagani)

Minimizar a quantidade de informações e o esforço de interação com os elementos de interface. Estes são os princípios-chave que para que websites possam ser utilizados da melhor forma em dispositivos móveis.

Um dos principais desafios ao projetar um site ou um sistema web para mobile é o tamanho em KB do conteúdo. Internet pelo celular ainda é cobrada por KB utilizados por muitas operadoras e o custo ainda é muito elevado no Brasil. Além disso, temos um espaço muito pequeno para mostrar o conteúdo. Mesmo os melhores smartphones touch-screen têm telas relativamente pequenas se compararmos com um monitor convencional ou notebook, o que cria um esforço de interação maior.

O princípio de acessibilidade para sites visualizados em dispositivos móveis é a apresentação sucinta de informações e para isso uma diretriz fundamental é utilizar corretamente as tags do HTML e fazer uma marcação adequada e semântica. Por exemplo, utilizar corretamente as tags de cabeçalho para estruturar títulos, P para parágrafos e outras recomendações que são comuns também aos sites convencionais.

Porém, deve ser minimizado o uso de tags, utilizando apenas as que forem necessárias. Por termos um conteúdo resumido e mais verticalizado, não há necessidade de muitas tags para estruturação e posicionamento do conteúdo. E, nesse ponto, entra outra questão: muitos sites disponibilizam o mesmo layout para web e para mobile, apenas acrescentando uma folha de estilo com atributo mediatype=”handheld” para adaptar a apresentação do conteúdo aos dispositivos móveis.

O mais adequado é prover uma página alternativa, com HTML e CSS próprios para a visualização neste tipo de dispositivo. Existem verificações server-side (depende da linguagem utilizada) que permitem identificar se o usuário está acessando o site a partir de um dispositivo móvel e então fazer o redirecionamento para a versão mobile.

Desenvolver uma versão mobile de seu website implica também em reduzir as informações que são apresentadas, disponibilizando apenas textos, links e imagens que sejam mais relevantes. Fazendo isto, reduzimos a densidade informacional e possibilitamos que os usuários encontrem mais facilmente as informações. Além disso, conseguimos reduzir o tráfego de conteúdo por diminuir o tamanho da página.

Outras dicas importantes sobre acessibilidade (e também usabilidade) para dispositivos móveis:

  • Evite o uso de javascript e flash, ainda há dispositivos que não suportam corretamente estes elementos. Mesmo para dispositivos que suportem scripts, eles devem ser utilizados apenas caso não haja outra forma de realizar uma determinada função. Scripts aumentam o consumo de energia.
  • O título das páginas deve ser curto e descritivo, para que o usuário identifique a página que ele está;
  • Prover, sempre que possível, pré-seleção para valores em campos de formulário, pois isto minimiza a quantidade de entrada de dados que o usuário deve fazer.
  • Quando possível, utilizar também listas de seleção, radio buttons e outros controles que não requerem digitação.
  • Garantir que cada formulário presente tenha um botão submit, evitando submissões por de javascript através de um evento no campo de formulário.
  • Reduza a quantidade de seletores e propriedades em seu CSS e, se possível, coloque declarações em uma única linha para reduzir o tamanho dos arquivos. Você também pode optar por utilizar script server-side para a compressão das folhas de estilo.
  • Para os textos, evite medidas absolutas e em pixels, permitindo que os navegadores ajustem o conteúdo à tela. No CSS, utilize porcentagens e medidas relativas como em, ex, bolder, larger e thick.
  • Especificar as dimensões exatas da imagem em pixels ajuda o navegador a continuar o carregamento da página e evitar o recarregamento depois da página ter sido exibida por completo. Os dispositivos podem perceber melhor as intenções do desenvolvedor se as margens, bordas e espaçamentos forem especificados em pixels.

Algumas destas recomendações foram obtidas no site ready.mobi com base em diretrizes do W3C.

Fonte: Tableless.com.br

, , , ,

Nenhum comentário.

Co-fundador da Apple acredita que Android ganhará corrida entre smartphones

Em entrevista para o jornal holandês De Telegraaf, Steve Wozniak afirmou que sistema operacional do Google deve se equiparar ao iOS em breve.

O co-fundador da Apple, Steve Wozniak, afimou em uma entrevista para o jornal holandês De Telegraaf que o sistema operacional do Google, o Android, deve superar o iOS e conquistar uma fatia maior do mercado de smartphones. Wozniak acredita que o sistema da Apple atualmente é o mais bem acabado e, em termos de qualidade, é superior.

Apesar disso, o Android oferece mais opções para o usuário, tem mais funções e também deve dar um salto de qualidade em breve, de maneira semelhante a como o Windows dominou o setor dos computadores.

Wozniak também contou na entrevista sobre um projeto abandonado pela Apple em 2004. Segundo o co-fundador, a empresa de Jobs teria se unido com uma “conhecida companhia de tecnologia japonesa” para lançar um celular a frente de seu tempo.

Na ocasião, a Apple estava satisfeita com a qualidade do produto, mas a empresa japonesa queria algo a mais. O projeto acabou descontinuado depois do lançamento do iPhone, em janeiro de 2007.

Fonte: Olhar Digital

, ,

Nenhum comentário.

Controle os gastos do seu pacote 3G com o 3G WatchDog

Para quem não tem um pacote de dados ilimitado (que é o meu caso), é indispensável monitorar os gastos para não pagar aquele absurdo cobrado pelos dados excedentes. O 3G WatchDog realiza esse trabalho da melhor maneira possível.

No 3G WatchDog você define a quota mensal do seu pacote de dados e ele te deixa totalmente informado sobre quanto você já gastou no dia, na semana, no mês e a porcentagem gasta do total. Você ainda pode definir alertas (quando sua cota for 95% gasta, por exemplo) e pedir para ele desligar automaticamente o seu 3G quando você atingir 100% da quota.

E o melhor de tudo: é totalmente free. Baixe o seu no Android Market 😉

Um abraço!

, ,

Nenhum comentário.

Enfim, Android. Samsung Galaxy 3 (GT-I5800)

Depois de uma longa e difícil espera, finalmente adquiri o meu primeiro smartphone com Android. Deixei o bom Samsung Omnia Pro B7320 para minha esposa e ainda estou em lua de mel com o Galaxy 3. Vamos às especificações…

– Sistema operacional Android 2.1
– Ecrã TFT LCD táctil capacitivo de 3,2″ com resolução de 240 x 400 píxeis (WQVGA), 16M cores
– Câmera de 3 MP com AF, detecção de sorrisos e geo-tagging; gravação de vídeo 320×240@15fps
– Memória interna de 170 mb
– Processador de 667 mhz
– Rádio FM com RDS
– Reprodutir de áudio MP3, AAC, AAC+, eAAC+, AMR, WMA, MIDI, OGG
– Reprodutor de vídeo DivX/Xvid, WMV, H.263, H.264, MPEG4
– Saída de áudio 3,5mm (P2)
– Rede 2,5G: 850/900/1800/1900 MHz; 3G (HSDPA 3,6 Mbps) 900/2100 MHz
– GPS A-GPS
– WLAN Wi-Fi 802.11 b/g/n
– Bluetooth 3.0
– USB 2.0
– Cartões microSD até 32 GB (1 GB incluído)
– Bateria Li-Ion 1500 mAh
– Autonomia em conversação: 2G: 15h / 3G: 7,1 h
– Autonomia em standby: 2G: 625h / 3G: 517h
– Dimensões: 113,5 x 55 x 12,9 mm
– Peso: 110g
– Outras características: Acelerómetro, sensor de proximidade, multi-touch, Layar Reality Browser, Android Market, Social Hub, Touch Wiz 3.0

Além de ter um excelente hardware, ser pequeno e leve, tem um visual muito bacana. Roda o Android 2.1 perfeitamente e está preparado para atualizações (li que a Samsung vai liberar a atualização pro Android 2.2 mês que vem, dezembro de 2010).

Mas o hardware é o “de menos”… Eu estou maravilhado mesmo é com o Android. A integração com o Google e a “vida online” do usuário é de fazer cair o queixo. Além disso, a quantidade de aplicativos pro Android é enorme! Tem aplicativo pra tudo que se possa imaginar, mesmo que pra isso seja preciso abrir um pouco a carteira e pagar uma quantia que considero “mínima”, pois os aplicativos mobile em geral tem um preço muito baixo. Enfim, este é o primeiro de MUITOS posts que virão sobre o Android.

Até a próxima!

, , ,

19 Comentários

Xbox Live chega ao Brasil na quarta (10); assinatura anual custa a partir de R$ 89

A Microsoft do Brasil anunciou, durante um evento na capital paulista, que a rede Xbox Live começa a operar oficialmente no Brasil na próxima quarta-feira (10).

O preço da assinatura Ouro, se feita on-line com cartão de crédito, é equivalente ao valor nos Estados Unidos: R$ 89 por ano – o valor da versão norte-americana, hoje, é de US$ 60.

A Xbox Live é uma rede on-line que conta com diversos conteúdos e serviços. Um dos principais é o multiplayer online, exclusivo para quem tem conta Ouro.

Segundo a Microsoft, a Live nacional terá título para Live Arcade, demonstrações de games, complemento de jogos (conteúdos adicionais por download) e jogos sob demanda, que vende por download títulos para Xbox 360 antes vendidos em disco (no Brasil, não terá games para o primeiro Xbox).

Fonte: Uol Games (Clique para ver a matéria completa)

Nenhum comentário.

Google lança módulo para acelerar o carregamento de páginas

Pacote deverá realizar a otimização de 15 itens que têm influência no desempenho de carga das páginas web.

No ano passado, no intuito de tornar a web mais rápida, o Google apresentou o Page Speed, ferramenta usada por desenvolvedores de páginas web para acelerar o carregamento do conteúdo. Com base nas informações dadas pelo Page Speed, era possível otimizar a carga de imagens, do CSS, de JavaScript e do HTML em geral.

Sem trabalho manual

Nesta quarta (3/11), a Google lançou o módulo “mod_pagespeed”, para servidores HTTP Apache. Esse módulo deverá realizar a otimização de maneira automática. Logo de saída o pacote deverá realizar a otimização de 15 itens que têm influência no desempenho de carga das páginas web, como o cache do servidor e as rotas entre o servidor e o cliente. Houve casos, segundo a Google, de melhora de até 50% no tempo necessário para carregar determinadas páginas.

Segundo os criadores do módulo, as seguintes melhorias que antes tinham de ser feitas manualmente, agora ficam a cargo do mod_pagespeed:

– Otimização de conteúdo gerado por um CMS, sem alterar a estrutura e a dinâmica do editor de conteúdos
– Recompactar imagens quando avaliar que o contexto HTML serve apenas de suporte
– Estender o tempo de vida do cachê de elementos como logomarcas e outros arquivos de imagens para um ano, sem interferir na possibilidade de atualizar esse conteúdo.

Parcerias

Na lista de atuais parceiros da Google para implementar o mod_pagespeed estão os provedores de hospedagem Go Daddy e a Cotendo, firma que presta o serviços de aceleração de páginas na internet.

O módulo, na distribuição para Linux, é baseado em código fonte aberto. Nas versões de servidores HTTP para outras plataformas sua integração é relativamente simples. Basta baixar o pacote e incluir a linha no arquivo de configuração do servidor.

Fonte: IDG Now

,

Nenhum comentário.